Desde a semana passada entrou na agenda do congresso a reforma política. O relator nesta segunda feira anunciou parecer favorável ao voto proporcional em lista fechada. Independente do debate de conteúdo que deve assolar o mundo político, os pequenos partidos, à direita e à esquerda começaram a detonar a proposta de sistema eleitoral proporcional de lista fechada.

Passados mais de cem dias das eleições municipais de 2016, ainda existe muitas dúvidas sobre a decisão eleitoral que o povo de Belém assumiu com a reeleição do prefeito Zenaldo. De acordo com a teoria da escolha racional, o eleitorado da capital deveria ter dado uma “banana” ao gestor incumbente, tendo em vista a péssima imagem que a população revelava, a respeito de Zenaldo, nas pesquisas eleitorais.

 Recife- PE- Brasil- 23/09/2016- Ex-presidente Lula em Recife, na manhã desta sexta-feira (23/09), onde participará de eventos políticos. Foto: Ricardo Stuckert/ Instituto Lula (Crédito: Divulgação)

 

A 132ª Pesquisa CNT/MDA, divulgada nesta quarta-feira, 19, pela Confederação Nacional do Transporte (CNT), mostra a liderança do ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na intenção de voto para eleição presidencial de 2018, tanto na intenção espontânea quanto na intenção de voto estimulada nos cenários para o primeiro turno.

Quais as possíveis tendências que poderíamos visualizar para o ano de 2017 no Brasil?

 

O ministro de integração nacional Helder Barbalho, em sua atividade político-administrava no governo Temer vem jogando solto em direção ao processo eleitoral de 2018. Em um contexto onde a economia nacional encolhe e de grande escassez de recursos nas esferas subnacionais (estados membros), o ministro pemedebista vem fazendo “a festa” movida à distribuição de recursos federais aos municípios paraenses, deixando a percepção de que esta competição política vindoura já aponta para um favorito.

 Mais certo do que 3 vezes 3 são 9. É de que Helder Barbalho será candidato ao governo do  Pará nas eleições de 2018. E mais. Se nas eleições de 2014 este candidato deu uma forte “canseira” na recandidatura do governador Simão Jatene é de se esperar de que as eleições de 2018, em condições normais de temperatura e pressão seja mais difícil para o PSDB manter o governo do Pará, numa sequência de três eleições consecutivas, na presença de um candidato pemedebista em situações privilegiada para esta disputa vindoura.